Fisioterapia Cardiovascular no Hospital





A Fisioterapia Cardiovascular é um dos tratamentos essenciais na reabilitação de pacientes portadores de cardiopatia. A prática melhora a condição física, mental e social desses indivíduos, permitindo que tenham mais qualidade de vida e independência nas tarefas do dia a dia.

A estratégia da fisioterapia é minimizar os prejuízos ao paciente no período internado em decorrência de infarto ou insuficiência cardíaca descompensada. Para tanto, a reabilitação não pode perder tempo. Cardiopatas pós-cirurgia, por exemplo, passam por reabilitação imediata.


A fisioterapia cardiovascular no hospital engloba atitudes tomadas desde o início da internação à alta hospitalar. O fisioterapeuta poderá atuar no pré ou pós-operatório e também na fase de compensação cardíaca. Assim é possível evitar complicações dos efeitos deletérios do repouso, mantendo ou melhorando a amplitude de movimento e força muscular. Também é possível realizar orientações quanto à prevenção de fatores de risco a quedas, entre outros.

Nos pacientes cirúrgicos, o fisioterapeuta trata principalmente do sistema respiratório, realizando higiene brônquica e promovendo a reexpansão pulmonar através de manobras ou uso de incentivadores respiratórios. Também são oferecidos suportes e cuidados em ventilação mecânica, determinando parâmetros adequados caso o paciente esteja ou necessite de intubação endotraqueal.

Quando o evento é de emergência, pacientes graves têm destino certo no ambiente hospitalar: a UTI. Na unidade, o monitoramento é constante, e a assistência provém de equipes multidisciplinares mobilizadas para garantir a segurança e o melhor prognóstico.

A demanda por fisioterapeutas cardiovasculares nos centros cirúrgicos, unidades de terapia intensiva e unidades coronarianas cresceu bastante nos últimos anos. Isso se deve, em grande parte, aos avanços científicos, que comprovam que esse tipo de fisioterapia é crucial para a prevenção e reversão de complicações nos procedimentos operatórios.



Trago soluções para sua carreira na Fisioterapia:




Comente:

Nenhum comentário