Tratamentos de Fisioterapia para o Envelhecimento Facial







A Fisioterapia Dermato Funcional pode ajudar no retardo do envelhecimento facial.  Vários recursos podem ser utilizados, seja baseado na eletroterapia seja na terapia manual.

A galvanopuntura, também conhecida por Eletrolifiting, é utilizada para atenuar rugas e linhas de expressão, podendo ser utilizada também no tratamento de estrias e flacidez tissular facial. A técnica consiste basicamente nos efeitos fisiológicos provenientes da corrente galvânica, a qual, através de um equipamento acoplado a uma caneta de eletrolifiting, com a intensidade reduzida para microamperes, reorganiza as fibras colágenas.

O procedimento é baseado na técnica de estimulação elétrica, em conjunto com punturação ou varredura. É provocada uma irritação cutânea que induz a formação de tecido de granulação e fibrose cicatricial. São atenuadas marcas de expressão e há aumento de fibroblastos e de colágeno, o que ajuda na reorganização das fibras elásticas. O eletrolifting atua diretamente nas áreas mais afetadas por lesões e pelo envelhecimento.


É importante ter em mente que independente da técnica utilizada, o que se deseja é uma estimulação química dos capilares da pele, resultando em uma hiperemia ativa e aumento da circulação local (vasodilatação), que intensificará os processos metabólicos, a nutrição, a função e a regeneração do tecido, Sabe-se que das técnicas propostas, as que produzem um processo inflamatório agudo fornecem um resultado mais rápido, visto sua importância na regeneração tecidual.

Durante o tratamento, como forma de precaução, o paciente não deve se expor ao sol enquanto o processo inflamatório estiver ativo, pois, há risco de manchar a pele. A técnica é contra indicada para paciente com patologias cardíacas, neoplásicas, gestantes e portadores de hipertensão descontrolada.

A corrente russa tem sido utilizada nos tratamentos de combate ao envelhecimento com o objetivo de prevenir a hipotonia fisiológica através da melhora da circulação e nutrição tecidual. Esses efeitos são atingidos com o aumento do metabolismo muscular, promovendo um aumento da oxigenação e liberação dos resíduos metabólicos, dilatação das arteríolas com consequente aumento da irrigação sanguínea do músculo e estimulação de maior trofismo.

A intensidade da corrente utilizada é proporcional à força de contração do músculo. Sabendo disso, os pontos motores passam a ser idealizados como pontos ideais para colocação dos eletrodos.

O tratamento através da eletroestimulação facial promove uma tonificação da musculatura acometida pela flacidez além de ganho de massa muscular, melhorando o trofismo da pele. A técnica é contra indicada para pessoas usuárias de marcapasso, indivíduos com hipertonia decorrente de paralisia facial, que possuem alteração de sensibilidade ou qualquer afecção cutânea aguda no rosto.

O laser é um aparelho de amplificação da luz, provocada pela emissão estimulada de radiação, que utiliza luz altamente organizada para estimular alterações fisiológicas nos tecidos (...). Essa estimulação, além de outros efeitos, promove um aumento na produção de colágeno. A ação do laser consiste na remoção das camadas mais superficiais da pele, promovendo uma contração das camadas mais profundas (derme), que ao se regenerar apresentará uma "nova" pele mais firme e de aparência saudável e jovial.

A terapia com laser trata-se de um método totalmente seguro, indolor, não provoca queimaduras e não danifica os tecidos, pois, estimula os processos naturais da regeneração cutânea, além de promover a produção de colágeno e elastina, atenuando as rugas faciais, tendo como consequência um tensionamento da pele na região em que está sendo aplicada. A partir dessas mudanças estruturais, a tensão da pele seria restabelecida, resultando em melhora da expressão facial de pacientes entre 30 e 50 anos, com sinais de envelhecimento.

A técnica é contra indicada em pacientes que possuam catarata, glaucoma, câncer de pele ou qualquer outra patologia dermatológica na área que será tratada e gestantes.

A técnica de carboxiterapia trata-se da administração de gás carbônico para fins terapêuticos, tendo recentemente grande destaque na área da estética. Na técnica de carboxiterapia, infundimos o gás carbônico por meio de uma agulha fina no tecido subcutâneo. O organismo, por causa da lesão provocada pela agulha e pelo gás, desencadeia um processo inflamatório com o objetivo de cicatrizar e reconstituir o tecido lesado. Decorrente do processo de reparação ocorre proliferação de vasos sanguíneos (angiogênese) e fibroblastos (fibrogênese). Segundo alguns autores, no local de infusão do gás carbônico há um aumento do calibre vascular, com isso aumento do fluxo sanguíneo.

A carboxiterapia produz resultados notáveis no organismo do indivíduo, gerando uma melhora estrutural da pele devido à formação de um tecido de sustentação. Isso ocorre em virtude do aumento da produção de colágeno. Além de tais efeitos, a carboxiterapia também tem ação vasodilatadora sobre a microcirculação, ou seja, ocorre um aumento da oxigenação da área a ser tratada, melhorando o aporte de nutrientes.

Após a ação mecânica ocorrida na carboxiterapia, provocada pelo "trauma" da agulha e pela introdução do gás, há a produção de um processo inflamatório e consequente migração de fibroblastos para a região da agressão e sua posterior proliferação estimulando a síntese de colágeno e de outras moléculas do tecido conjuntivo, como a fibronectina, glicoproteína encontradas no sangue, associada a vários processos biológicos como adesão e diferenciação celular, reparação de tecidos, servindo como substrato para enzimas fibrinolíticas e da coagulação.

Estudo histológico com a carboxiterapia comprovou um aumento da espessura da derme, evidenciando estímulo à neocolagenase, bem como preservação total do tecido conjuntivo, incluindo estruturas vasculares e nervosas, ou seja, um evidente rearranjo das fibras colágenas.

A carboxiterapia é considerada uma técnica segura, mas devemos atentar para algumas contraindicações: infarto agudo do miocárdio, angina instável, insuficiência cardíaca, hipertensão arterial, tromboflebite aguda, gangrena, infecções localizadas, epilepsia, insuficiência respiratória, insuficiência renal, gravidez, distúrbios psiquiátricos

A terapia por radiofreqüência é baseado num equipamento criado nos EUA pra o tratamento da flacidez da face sem cirurgia. Ele causa uma contração da pele, sem cortes, hematomas, inchaço ou descamações fortes e sem se afastar das atividades normais e sob anestesia local.

Este procedimento é uma nova tecnologia, diferente do Laser, dos Peelings e da Cirurgia Convencional, e é utilizado para o tratamento de um dos mais difíceis problemas do envelhecimento facial, que é a flacidez da pele do rosto e do pescoço. Não há cortes, lesões superficiais, edemas ou equimoses. A técnica de radiofrequência tem se destacado no campo estético por seus efeitos térmicos em virtude de reduzir a distensibilidade do tecido, aumentando a densidade do colágeno e consequentemente diminuir a flacidez tissular, promovendo um efeito lifting.

A radiofreqüência gera energia e forte calor sob a camada mais profunda da pele enquanto a superfície se mantém resfriada e protegida, o que causa a contração do colágeno. Quando a onda é aplicada sobre a superfície da pele, ela é resfriada (epiderme) e ao mesmo tempo uma energia de radiofreqüência é passada para as camadas mais profundas (derme)

Posteriormente é obtida a produção de Neocolágeno que vai produzir uma melhora ainda maior no aspecto da pele.Assim, é criada uma reação química nas estruturas mais profundas, mais especificamente no colágeno, que faz a pele retrair (AGNES,2011). A radiofreqüência é contra indicada para pacientes portadores de marca-passo, próteses metálicas ou de silicone na área a ser tratada, pacientes com câncer ou tumor (devido ao risco de metástase), rosácea ativa, abscesso dental e gestantes.

A drenagem linfática manual (DLM) é uma técnica que surgiu em 1936, criada pelo biólogo dinamarquês Emil Vodder e sua esposa Estrid Vodder. Sua principal ação é sobre o sistema linfático, e deve seguir alguns aspectos importantes quanto ao ritmo, manobras, pressão e harmonia dos movimentos. A drenagem linfática é uma técnica que drena os líquidos excedentes que banham as células, mantendo assim, o equilíbrio hídrico dos espaços intersticiais. Ela também é responsável pela evacuação dos dejetos provenientes do metabolismo melhorando a oxigenação e nutrição celular.

A drenagem linfática manual é uma técnica de massagem que ajuda a ativar a circulação sanguínea, promovendo o relaxamento dos músculos da face e eliminando as toxinas causadoras das linhas finas e marcas de expressão. A drenagem linfática revitaliza a pele do rosto, ameniza olheiras e até trata hematomas decorrentes de traumas, doenças e cirurgias. A técnica é contra indicada em casos de inflamações e/ou infecções agudas, insuficiência cardíaca, hipertensão, trombose, câncer, asma, afecções de pele, estados febris e gravidez.

Trabalhe com Estética:




Trago soluções para sua carreira na Fisioterapia:




Comente:

Nenhum comentário